Uso indevido da marca “NEYMAR” por um empresário português

[shareaholic app="share_buttons" id="26480182"]

Na manhã de hoje, o Tribunal Geral da União Europeia confirmou a decisão quanto à proibição de o empresário Carlos Moreira utilizar a marca “Neymar“. Em novembro de 2016, o jogador do PSG entrou com um pedido de anulação do uso do nome para peças de vestuário, calçados e chapelaria.

O empresário português decidiu recorrer à decisão do Escritório de Propriedade Intelectual da União Europeia, mas o Tribunal Geral considerou que Moreira “agiu de má-fé quando pediu pelo registro”.

A entidade afirma que, ao tentar registrar a marca “Neymar”, o empresário “explora de forma parasitária” o nome do atacante do Paris Saint-Germain. Moreira tentou argumentar ao falar que escolheu o nome do brasileiro pela fonética e que, na época, não o conhecia.

O Tribunal Geral, então, declarou que “não era concebível que Moreira não soubesse da existência do jogador em 2012”, quando tentou fazer o registro. No mesmo dia, o português pediu a inscrição da marca “Iker Casillas”, o que evidenciou ainda mais as intenções do empresário.

A entidade afirma que, ao tentar registrar a marca “Neymar”, o empresário “explora de forma parasitária” o nome do atacante do Paris Saint-Germain. Moreira tentou argumentar ao falar que escolheu o nome do brasileiro pela fonética e que, na época, não o conhecia.

O Tribunal Geral, então, declarou que “não era concebível que Moreira não soubesse da existência do jogador em 2012”, quando tentou fazer o registro. No mesmo dia, o português pediu a inscrição da marca “Iker Casillas”, o que evidenciou ainda mais as intenções do empresário.

Fonte: https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2019/05/14/justica-europeia-proibe-empresario-portugues-de-usar-a-marca-neymar.htmNe